Download Free FREE High-quality Joomla! Designs • Premium Joomla 3 Templates BIGtheme.net
Home / Notícias / MARK ALMOND: Desde 1914 que não se tentava um assassinato político num momento tão delicado na Europa

MARK ALMOND: Desde 1914 que não se tentava um assassinato político num momento tão delicado na Europa

A Eslováquia pode parecer um país pequeno e bastante insignificante, mas situa-se na encruzilhada política da Europa – um lugar onde os antigos conflitos entre o Oriente e o Ocidente são revelados.

Assim, o tiroteio de quarta-feira contra o primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, enviou inevitavelmente ondas de choque políticas para longe do seu país natal.

Desde 1914 e do fuzilamento do arquiduque Franz Ferdinand em Sarajevo que não se tentava um assassinato num momento tão delicado da política europeia.

Isso também ocorreu num lugar aparentemente atrasado – nesse caso, num canto obscuro dos Balcãs.

Mas o efeito dominó que se seguiu e os horrores finais da Grande Guerra resultantes são facilmente lembrados. A violência política pode facilmente levar ao caos destrutivo.

Apenas independente desde 1993, a curta vida da Eslováquia viu-a juntar-se ao União Europeia em 2004. Mas a expectativa confiante de que a Europa seria um “continente de paz” parece agora vazia – perfurada por RússiaO ataque sangrento do país ao vizinho imediato da Eslováquia, a Ucrânia.

O primeiro-ministro da Eslováquia, Robert Fico (foto), está lutando por sua vida no hospital após uma tentativa de assassinato na quarta-feira

O primeiro-ministro da Eslováquia, Robert Fico (foto), está lutando por sua vida no hospital após uma tentativa de assassinato na quarta-feira

O primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, é transferido para o Hospital Universitário FD Roosevelt

O primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, é transferido para o Hospital Universitário FD Roosevelt

Imagens de vídeo obtidas pela AFPTV mostram seguranças carregando o PM Fico em direção a um veículo depois que ele foi baleado em Handlova

Imagens de vídeo obtidas pela AFPTV mostram seguranças carregando o PM Fico em direção a um veículo depois que ele foi baleado em Handlova

É a posição da Eslováquia como Estado da linha da frente – tanto para a União Europeia como para a NATO – que torna esta pequena nação tão subitamente importante.

A ajuda ocidental que flui através da Eslováquia tem sido vital para a defesa da Ucrânia contra a agressão de Putin.

Mas as armas da própria indústria armamentista da Eslováquia também têm sido importantes, e aqui a história desempenha um papel inesperado.

Grande parte do arsenal da Eslováquia remonta a designs da era soviética – tal como o da Ucrânia. E isso significa que os stocks eslovacos de tudo, desde balas e munições para tanques até peças sobressalentes para aviões de combate, enquadram-se perfeitamente nas necessidades dos ucranianos.

Ou fez até muito recentemente. O regresso ao poder de Robert Fico como primeiro-ministro eslovaco, em Outubro passado, mudou drasticamente as coisas – e prejudicou a unidade da UE e da NATO no seu apoio à Ucrânia.

Pessoal transportando o primeiro-ministro da Eslováquia, Robert Fico (C), em direção a um veículo depois que ele foi baleado em Handlova, em 15 de maio

Pessoal transportando o primeiro-ministro da Eslováquia, Robert Fico (C), em direção a um veículo depois que ele foi baleado em Handlova, em 15 de maio

O PM foi baleado em Handlova, nordeste de Bratislava

O PM foi baleado em Handlova, nordeste de Bratislava

Isto porque, tal como o seu aliado político Viktor Orban, o primeiro-ministro da Hungria, Robert Fico é um crítico ferrenho do apoio ocidental a Kiev. Fico fez uma campanha pró-Putin, antiamericana e anti-UE para a sua reeleição.

E em vez de sanções, apela ao Ocidente para que inicie conversações com o Presidente Putin para pôr fim ao conflito.

Agora a Ucrânia e os seus aliados temem que Fico espere encurralar Kiev – bloqueando a ajuda da UE e forçando os ucranianos a aceitar as exigências do Kremlin.

Porque é que Fico rompeu com a maioria dos estados da UE e da NATO? Algumas pessoas recordam a sua juventude na Checoslováquia – o estado do bloco soviético que outrora incluía a Eslováquia.

O presidente russo, Vladimir Putin (foto), descreveu o tiroteio como um 'crime hediondo' e disse esperar que o 'corajoso' Fico se recuperasse rapidamente

O presidente russo, Vladimir Putin (foto), descreveu o tiroteio como um 'crime hediondo' e disse esperar que o 'corajoso' Fico se recuperasse rapidamente

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse que a Embaixada dos EUA estava pronta para ajudar o governo local, de acordo com um comunicado divulgado pela Casa Branca

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse que a Embaixada dos EUA estava pronta para ajudar o governo local, de acordo com um comunicado divulgado pela Casa Branca

Agentes de segurança transferiram o primeiro-ministro eslovaco Robert Fico para um carro após o tiroteio na quarta-feira

Agentes de segurança transferiram o primeiro-ministro eslovaco Robert Fico para um carro após o tiroteio na quarta-feira

Fico ingressou no Partido Comunista aos 22 anos em 1986, apenas três anos antes do colapso do regime apoiado pelos soviéticos.

Mas, tal como muitos jovens e ambiciosos há 40 anos, ele rapidamente abandonou o partido e partiu para a sua própria odisseia pós-comunista, tendo tido a ideia de um partido de estilo social-democrata chamado Smer – ou “Direção” – há 25 anos. Contudo, a opinião popular na Eslováquia tem vindo a mudar e Fico é um populista.

Ele tem sido sensível à forma como muitos dos seus concidadãos eslovacos temem a propagação da guerra a partir da Ucrânia. Lembram-se bem da Primavera de Praga, da invasão russa em 1968, mas consideram que apaziguar Putin – e não desafiá-lo – é o caminho a seguir.

A combinação de Fico de obter subsídios da UE para a Eslováquia, ao mesmo tempo que se opõe ao seu plano de transferir migrantes para países como o seu, também agradou aos eleitores.

A sua popularidade não deve ser subestimada.

Somente em abril o escolhido de Fico para presidente, Peter Pellegrini, derrotou o candidato da oposição e ele toma posse no mês que vem.

Mas é o cortejo de Fico a Putin e à China que mais preocupa o Ocidente.

Equipes de resgate levam o primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, que foi baleado e ferido, a um hospital na cidade de Banska Bystrica, no centro da Eslováquia.  Ele é retratado coberto por um lençol branco

Equipes de resgate levam o primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, que foi baleado e ferido, a um hospital na cidade de Banska Bystrica, no centro da Eslováquia. Ele é retratado coberto por um lençol branco

A Eslováquia é um dos membros mais pequenos da UE. Normalmente, em Bruxelas, os grandes – França e Alemanha – conseguem o que querem.

Mas pequenos estados como a Eslováquia têm direito de veto em questões de política externa e, juntamente com Viktor Orban na Hungria, Fico formou uma “Esquadra Inábil” – céptica em relação à Ucrânia, relativamente amigável para com a Rússia. Além disso, estão a crescer os receios de que a Rússia esteja a tentar desestabilizar as sociedades ocidentais, como alertou o primeiro-ministro Rishi Sunak na segunda-feira. A sabotagem e o assassinato não podem ser excluídos em solo britânico.

O risco de mais ataques após o tiroteio de Fico é grave, tanto mais hoje em dia que a Europa parece febril, tal como estava nas primeiras décadas do século passado.

Aproximamo-nos da época eleitoral em todo o continente, incluindo as eleições para o Parlamento Europeu nos próximos meses.

Líderes políticos, desde presidentes a políticos jornaleiros, estarão por aí.

Se há muito tempo existe o risco de ovos voarem ou mesmo de socos ocasionais, agora o medo de facas e armas irá assombrar os políticos em campanha em todo o mundo.

Demorou apenas um mês após o assassinato de Francisco Ferdinando, em 28 de Junho de 1914, para que o horror universal pelo seu assassinato cedesse, primeiro à rivalidade internacional flagrante – e, depois, em 28 de Julho, à catástrofe da Primeira Guerra Mundial.

Quaisquer que sejam os motivos do suposto assassino de ontem, o facto de um chefe de governo europeu poder ser morto a tiro desta forma colocou todas as nações europeias – bem como os grandes rivais do Ocidente, a Rússia e a China – em alerta vermelho.

Ainda a pouco mais de um século de distância, as lições da Grande Guerra gritam-nos. O risco de um contágio mais amplo é muito real.


Source link

About admin

Check Also

Os segredos sexuais MUITO surpreendentes de Bridgerton da vida real: o historiador revela a VERDADE sobre as travessuras da era da regência – de bordéis generalizados a DSTs desenfreadas

Netflix Series Bridgerton retornou às suas raízes pornográficas esta semana com a estreia da segunda …

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *